Educação

Assim como acontece com a cidade, a crise na educação é de pertencimento. Pertencer é ser parte da construção de um projeto que envolva toda a comunidade escolar e dialogue com a realidade dos estudantes e suas famílias, que garanta a autonomia dos educadores. Isso não ocorre porque o modelo educacional do Rio é empobrecedor e autoritário, pensado de fora para dentro das escolas.

Podemos mudar essa situação através da valorização do salário e da carreira dos educadores, do diálogo com comunidade escolar, que elegerá seus diretores e definirá suas prioridades, do respeito à singularidade de cada escola e do local onde está inserida.

Se a
cidade
fosse
nossa?

Você tem alguma ideia para o tema Educação?

Compartilhe usando o formulário!