O Rio de Janeiro está fervendo e as escolas estão em luta!

25705503073_364f6d0cb2_k

Foto: Katiana Tortelli

O Governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, diz que educação é prioridade, mas não paga o salário dos educadores. Diz que educação é a saída para o futuro, mas não garante merenda para os alunos, ar condicionado nas salas de aula, nem quadra esportiva. Diz que cidadania se aprende na escola, mas impede eleições diretas para direção. Afirma que preza pela democracia, mas dificulta a vida dos grêmios estudantis.

Já foi um corte de mais de 500 milhões de reais da Educação no estado. A merenda, que já era pouca, agora quase não existe. Foi oficialmente trocada por “pão com leite”, mas na realidade grande parte dos colégios já estão sem nada. As salas de aula estão a cada ano mais superlotadas, e os estudantes e professores tem que sobreviver sem nenhuma infraestrutura e num calor insuportável.

Os estudantes resolveram dizer “A escola é nossa!”

photo181800365458566823

Foto: Katiana Tortelli

Os secundaristas cansaram e resolveram intensificar a sua luta. Tomaram a escola nas mãos. Há três semanas, estudantes do Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes, Ilha do Governador, ocuparam a escola para reivindicar melhorias para os alunos e manifestar apoio à greve dos professores da rede pública do estado.  De lá para cá, o movimento tem ganhado cada vez mais força entre a juventude fluminense. Da zona oeste à baixada, do interior à zona norte, a luta dos estudantes cresce a cada dia. O número registrado na manhã da última sexta-feira, 08/04, já era de 15 ocupações, e não para de crescer.

É importante ressaltar o caráter pacifico das ocupações, bem como as diversas melhorias realizadas pelos jovens em suas escolas. Infelizmente, a rotina das ocupações, marcada por aulas públicas, oficinas artísticas e debates sobre gênero, política e diversidade, teve de enfrentar muitas vezes a truculência da Polícia Militar. Tiro, porrada e bomba foram usados para silenciar as vozes de uma juventude que luta para fazer valer um direito fundamental na construção de uma nação menos desigual e verdadeiramente desenvolvida: a educação.

Mesmo tentando calar, dezenas de protestos estão se espalhando pelo RJ e o caminho é esse. A luta só vai crescer! Os secundaristas estão levantando suas cabeças contra todos esses abusos e vão colocar os dirigentes contra a parede. Essa luta é dos estudantes, dos professores, servidores, terceirizados, mães e pais, universitários, é nossa.

Foto: Katiana Tortelli

Foto: Katiana Tortelli

Veja o ‪#‎MapaColaborativo das escolas e apoie: www.bit.ly/ocupaescolario

“O Estado veio quente, nós já tá fervendo
Quer desafiar?
Não to entendendo
Mexeu com estudante você vai sair perdendo”

Veja o álbum de fotos completo