Guilherme Boulos: direito à cidade, reforma urbana, poder popular.

boulos

Guilherme Boulos, coordenador nacional do Mtst Trabalhadores Sem Teto, completou a frase “Se a cidade fosse nossa…”. Confira o que ele tem pra dizer!

“Se a cidade fosse nossa, os muros da segregação viriam a baixo. Centro e periferia seriam referências geográficas e não sociais. O povo da periferia tomaria o centro e os bens urbanos do centro tomariam a periferia. Moradia digna, transporte coletivo e saúde seriam entendidos como direitos e não como mercadorias. O interesse social prevaleceria sobre o privado. Uns chamam isso de direito à cidade, outros de reforma urbana, outros ainda de poder popular.

O caminho é duro, de mobilização social e enfrentamento de poderosos interesses, mas não tenham dúvidas: a cidade será nossa!”